• Mayara Labs;Miriam Furlan

Síndrome de abstinência

Escolhi minha forma de parar de fumar, mas essa tal síndrome de abstinência? Vou sentir muito?


É preciso estar atento às reações do seu corpo, seus pensamentos e aos estímulos do ambiente para que você não tenha recaída. A psicoterapia pode te auxiliar muito nesse processo para que você se conheça, reafirmando suas motivações e conquistas, e com isso obtendo o resultado que você tanto almeja.

Mas antes é preciso conhecer sobre a crise de abstinência que acontece devido à dependência que a nicotina causa no organismo. Você pode sentir ansiedade, nervosismo, mal-estar, entre outros sintomas (todos os aqui descritos variam em grau e frequência para cada organismo), e com isso vem uma vontade louca de fumar para “não sentir” mais isso. Esse desejo forte de fumar dura de 5 a 10 minutos, e você fumando ou não, esse desejo passará. Quanto mais você continuar fumando quando vier esse desejo mais reforçará seus desejos momentâneos e se afastará do seu objetivo. Ao resistir uma vez e ver que de fato esse desejo passa depois desses minutos, se dê os parabéns por isso, você acaba de reforçar a si mesmo que quem tem controle sobre sua vida é você, e não a nicotina. Com o tempo, essa vontade forte de fumar vai diminuindo em intensidade e frequência, faça o teste!


Precisamos estar cientes também das ciladas que a vida nos coloca e que muitas vezes já tomamos como motivo para um deslize, ou para desistir do processo e voltar a fumar:

  • Estar estressado não é fator para deslize ou desistência, pessoas que não fumam também passam por estresse e lidam com isso sem o cigarro, portanto, fumar não resolverá seus problemas.

  • Dificuldade na concentração também não é fator para deslize ou desistência, esse sintoma diminui em poucas semanas e acontece porque seu cérebro agora está recebendo uma grande quantidade de oxigênio e diminuindo o monóxido de carbono.

  • Outro ponto fundamental que também não é fator para deslize ou desistência, são as situações sociais: avise as pessoas próximas que você parou de fumar e peça que não ofereçam cigarro a você e muito menos que fiquem insistindo, peça que os ajudem. E lembre-se a escolha é sua, se o outro quer fumar, respeite a decisão dele, da mesma forma que ele deve respeitar a sua.


Além disso, segue aqui algumas dicas para ajudar no controle da abstinência: beba bastante água, chupe gelo, coma frutas, escove os dentes, converse com um amigo, mantenha as mãos ocupadas, faça atividade física, evite situações associadas ao ato de fumar no início, jogue fora os isqueiros e cigarros, respire profundamente, etc.


No próximo post falaremos sobre alguns mitos e verdades do cigarro.

Se você não é fumante, compartilhe esses conhecimentos com seus familiares/amigos/colegas. Alguém pode estar precisando dessas informações e motivações para dar o primeiro passo! E lembre-se que essas informações não substituem o trabalho de um profissional, uma equipe multidisciplinar é fundamental para o seu sucesso!




1 visualização