• Mayara Labs;Miriam Furlan

Métodos

Decidi Mayara, vou parar de fumar!

Ótimo! Parabéns por sua escolha! Vamos agora para mais uma escolha (já diziam que a vida é feita de escolhas, não é mesmo? Hahaha): parar de uma só vez (abrupta) ou aos poucos (gradual)? Não existe a forma correta/errada, melhor/pior, existe a que se encaixa melhor para você, por isso é tão importante o autoconhecimento.

A parada abrupta é quando escolhemos um dia para ser seu primeiro dia sem o cigarro, ela acontece de uma vez, escolhemos uma data e a partir daquele dia não se fuma mais. Pode parecer difícil, mas saiba que é o meio mais utilizado e com maior número de ex-fumantes. Tive um caso de um homem de 50 e poucos anos que fumava em média 60 cigarros por dia e ele parou de forma abrupta, no dia escolhido, não fumou mais.


A parada gradual é quando você vai deixando de fumar aos poucos num período máximo de duas semanas, mais que isso a experiência começa a se tornar difícil e passar a ser um adiamento da decisão, e não uma parada. Ela pode se dar de duas formas: redução ou adiamento. Na redução você estipula um prazo para parar de fumar, 5 dias, por exemplo, e nesses dias vai reduzindo o

número de cigarros por dia até chegar no quinta dia como o primeiro dia sem cigarro. No adiamento você também estipula um prazo para parar de fumar, por

exemplo, 6 dias, e vai reduzindo o horário do primeiro cigarro do dia, se começo a fumar as 9h, no outro dia, fumo o primeiro cigarro as 11h, depois as 14h, até chegar no sexto dia sem cigarros.

Além disso, algumas pessoas precisam da terapia medicamentosa, e está tudo bem nisso, você não é mais forte ou mais fraco por precisar de auxílio medicamentoso para atingir seu objetivo. Se quando estamos com dor de cabeça, estômago, tomamos medicação para ficar bem, porque não tomar também, se for preciso, para ficar bem sem cigarros? Nesse momento é importante fazer um acompanhamento com um psiquiatra para que seja indica e melhor terapia medicamentosa para o seu caso.


No próximo post falaremos sobre a síndrome da abstinência.


Você tem achado esse conteúdo relevante? Deixe aqui seu comentário,

sua opinião é importante para nós. Se tiver dúvidas estou à disposição para

responder.


Se você não é fumante, compartilhe esses conhecimentos com seus familiares/amigos/colegas. Alguém pode estar precisando dessas informações e motivações para dar o primeiro passo! E lembre-se que essas informações não substituem o trabalho de um profissional, uma equipe multidisciplinar é fundamental para o seu sucesso!




7 visualizações